Select Page

Conversa com Luís Paulo Saldanha Martins

Zoom-Colibri a partir da FLUP: https://videoconf-colibri.zoom.us/j/89830857672?pwd=dXNybEFQVFVDbWJiajhzNXBVSVV6QT09

Hélder Marques apresenta
LUÍS PAULO SALDANHA MARTINS.

A Geografia e os geógrafos têm dedicado uma ampla atenção ao turismo enquanto instrumento de transformação do território. É igualmente incontroverso o facto de o turismo existir com a viagem para lugares turísticos, ou seja o turismo existe na medida em que existe território e diversidade territorial. Sendo certo que o turismo revela uma enorme capacidade de explicar os “padrões” de desenvolvimento dos lugares de turismo, só mergulhando nas viagens anteriores ao século XX e à massificação, será possível compreender de que modo o espaço europeu e as suas periferias foram ganhando expressão enquanto componentes persistentes no nosso imaginário coletivo.

Walter Christaller (1955 e 1963), primeiro, e Butler (1980), pelos anos oitenta, procuraram encontrar essa explicação, caracterizando a evolução – as dinâmicas – desde os principais centros para as periferias, apontando como exemplos a “Jütland”, o “Wallis” e, claro, a “Sicily” e o “quente” Algarve (1963), eleitos como destinos obrigatórios para os turistas europeus. A Sicília constituiu para Christaller uma das periferias de referência onde o turismo se espraiou tanto pelas grandes cidades como pelos lugares periféricos, prolongando um percurso que desde o século XVIII foi referido como essencial à formação clássica proporcionada à juventude, alguma à procura de se encontrar.

//

Luís Paulo Saldanha Martins é Licenciado em Geografia pela FLUP e docente do Departamento de Geografia desde 1981. Completou o Mestrado em Geografia Humana pela Universidade de Coimbra com a dissertação “Níveis urbanos no Noroeste de Portugal: dimensão populacional e do comércio a retalho” (1985) e o Doutoramento, igualmente, em Geografia Humana pela FLUP com a tese “Lazer, férias e turismo na organização do espaço no Noroeste de Portugal” (1993). Integrou os Centros de investigação CENPA, ORTNOP e GEDES da FLUP, tendo-se incluído mais recentemente na lista de investigadores do CEGOT. Foi diretor da Licenciatura em Geografia, do Curso Integrado de Estudos pós-graduados em Geografia Humana – Território e Desenvolvimento e do Mestrado em Turismo da UP.

 


25 maio 2021
18:30
Zoom

CONFERÊNCIAS ANTERIORES

Pensamento e Catástrofes

Ao longo de três dias, autores, ^lósofos e artistas reúnem-se para, não apenas debaterem as possibilidades de compreendermos as catástrofes, como também – no dizer de Jean-Luc Nancy – enunciarem algo do «pensamento como catástrofe».
http://pensamentoecatastrofes.up.pt


18 a 20 maio 2017

Processos de transformação no Ensino/Aprendizagem em Arte

Alexandre Alves Costa, Anni Ghunther Nonell, Domingos Tavares, José Paiva, Mário Bismarck, Miguel Leal, Rui Braz Afonso, Sérgio Fernandez e Estudantes da UC optativa do MIARQ/FAUP – Arquitectura: processos de transformação no ensino/aprendizagem


5 e 6 julho 2018
Sala 13A Pavilhão Sul e Auditório do Pavilhão Carlos Ramos

Apresentação Pública da Bienal BoCA

A BoCA – Biennial of Contemporary Arts é uma nova bienal de artes contemporâneas que tem a sua primeira edição entre 17 de março e 30 de abril de 2017, nas cidades de Lisboa e Porto.


10 fevereiro de 2017 · 17:00
Aula Magna

A Aura da Imagem

Sessão organizada a propósito da apresentação do 1º número da publicação SOPHIA “Crossing Borders,Shifting Boundaries, The Aura of The Image” 


30 novembro 2017 · 17:30
Auditório Pavilhão Sul